22nd nov

2013

Ginecomastia – Vol. Mamário no Homem

Esse procedimento poderá ser realizado tanto em ambiente hospitalar quanto com anestesia local no centro cirúrgico da clínica Medeor, dependendo da escolha e do perfil do paciente. Vale ressaltar que o centro cirúrgico da clínica Medeor está habilitado e regido pelas normas da ANVISA.

O que é?

É o aumento de volume mamário no homem. Causada por um desenvolvimento excessivo no tecido da região mamária masculina e ocorre nas fases de mudanças hormonais do homem (infância, adolescência e velhice) sem nenhuma patologia de base, na maior parte dos casos. A correção cirúrgica é realizada com redução satisfatória na maioria dos pacientes. Lipoaspiração é um procedimento auxiliar no refinamento dos resultados, mas em poucos pacientes pode ser usado como procedimento exclusivo.

O estresse psicológico é a razão principal para a indicação cirúrgica, os resultados estéticos têm grande importância para esses pacientes, devendo-se considerar o tamanho da cicatriz e deixá-la o mais imperceptível possível.

A classificação da ginecomastia é baseada nas necessidades cirúrgicas corretivas. Para o planejamento cirúrgico, normalmente os especialistas preferem considerar três classificações:

Grau I : um botão localizado de tecido glandular que é concentrado ao redor da aréola que, geralmente, são fáceis de remover; tórax não gorduroso e não há excesso de pele.

Grau II : ginecomastia difusa em tórax com mais tecido gorduroso, onde as margens do tecido não são bem definidas. A associação com lipoaspiração do tecido gorduroso ao redor é freqüente.

Grau III : ginecomastia difusa com grande excesso pele. Estes pacientes necessitam incisões externas à aréola, na pele, ou reposicionamento do complexo aréolo-papilar ou as duas associadas.

O que você precisa saber:

1.A cirurgia: consiste em um corte pequeno em forma de semicírculo na parte inferior da aréola (mamilo). A cicatriz não é aparente e fica praticamente invisível com o tempo. As cicatrizes podem ser pequenas, porem estão relacionadas com o volume a ser retirado e com a flacidez existente.
2.Recomendamos vários cuidados pós-operatórios para obtenção de boa qualidade em relação às cicatrizes. No entanto, não podemos prever com exatidão como vão resultar, uma vez que isto também depende de fatores individuais. As cicatrizes passam por um processo evolutivo onde no início apresentam-se mais avermelhadas e endurecidas e depois tornam-se mais delgadas e pálidas. Este processo é lento e pode durar vários meses.
3.Anestesia: pode ser local com sedação, peridural ou mesmo geral, conforme indicação do anestesiologista e necessidade do cirurgião.
4.Tempo cirúrgico: em torno de 1 à 2 horas.
5.Idade: uma vez que o paciente não esteja mais em fase de crescimento e maturação hormonal, fase em que podem ocorrer mudanças, poderá estar realizando o procedimento.
6.Risco: todo procedimento cirúrgico tem riscos, serão esclarecidos, não deixe de questioná-los!
.
A participação da família e essencial, em todos os momentos.
Pré-operatório

1.Exames complementares a serem especificados.
2.Fotografia da região é importante para avaliação, programação cirúrgica e documentação.
3.Providencie malha cirúrgica reforçada do tamanho combinado previamente.
4.Compareça no dia e horário combinados, de preferência acompanhada, principalmente se a cirurgia for ambulatorial.
5.Qualquer intercorrência como doenças (gripe, febre, infecção) ou outros motivos que acarretem a suspensão da cirurgia avise com antecedência.
6.Pode ser feito uso de Arnica para evitar equimoses (roxos). Este deve ser iniciado de uma semana a dez dias antes da cirurgia.
7.Consulta com Anestesiologista.
Cuidados

1.Jejum de no mínimo 6 horas antes do início da cirurgia, para líquidos sem proteína e de 8 horas para sólidos e líquidos com proteína.
2.Medicação para hipertensão e outras doenças deve ser informada para posterior orientação.
3.Não tome medicação que contenha ácido acetil salicílico (ex.: AAS, Rhonal , Buferin , Aspirina), uma semana antes e uma semana após a cirurgia porque aumenta o sangramento.
4.Abandone medicamentos para emagrecimento 15 dias antes da cirurgia.
5.Não fume 15 dias antes e 15 dias após a cirurgia.
Pós-operatório

1.Dor: depende da sensibilidade individual, mas normalmente é pouco dolorosa.
2.Tempo de Internamento: geralmente é ambulatorial,recebendo alta no mesmo dia.
3.Primeiros curativos: será realizado pelo seu médico. Uso de micropore por dois meses com troca semanal.
4.Postura: ereta sem mobilização dos membros superiores.
5.Banho: de chuveiro normal após 24hs. Seque os micropores com secador.
6.Vestimentas : procure usar roupas abertas na frente. Use malha cirúrgica, dia e noite, durante dois meses.
7.Alimentação: normal
8.Equimoses: as equimoses, (roxos), são absorvidos no prazo de 7 a 10 dias, podendo ser usado pomadas ou gel especiais.
9.Pontos: retirada de pontos vai depender do tipo de fio utilizado.
10.Esforços físicos: durante um mês, não eleve os braços acima dos ombros, não dirija e não erga peso. Ginástica e natação, somente após 30 dias.
11.Sol: não se exponha ao sol durante 30 dias.
12.Dreno : muito comum o uso de drenos, facilita a saída de seromas e hematomas, que serão retirados a partir de 48 horas, por critério médico.
13.Drenagem linfática: a partir do 4° dia , recomendamos em torno de 10 sessões, a qual auxilia na recuperação, diminuindo edema (inchaço) mais rapidamente e ajudando na dissolução de pequenos hematomas.
14.Seguir a prescrição médica e comparecer aos horários para retorno.
voltar ^

Complicações

Um preparo pré-operatório adequado é fundamental para evitá-las. É importante notar que todas as complicações são mais comuns em pacientes fumantes, sendo indispensável parar de fumar por pelo menos 15 dias antes da cirurgia.

Gostaríamos de esclarecer que podem ocorrer complicações, seqüelas e decorrências próprias desta, tais como persistência de cicatrizes aparentes, hipertróficas ou queloideanas (aumento de volume da cicatriz), discromias (mudança de cor), longas e alargadas, assimetrias (diferença entre os dois lados), deiscência de sutura (abertura de pontos), necroses (morte tecidual) localizadas, hematomas (acumulo de sangue), sangramento, seroma (coleção de líquido), reações inflamatórias, alérgicas e infecciosas, ausência ou exarcerbação de sensibilidade, excessos dermo-gordurosos, com necessidade de retoques, tromboses e embolias (coágulos pelo sangue), bem como suas seqüelas, entre outras.

Será que isto vai desaparecer

Toda cirurgia envolve um período próprio de recuperação. Dê tempo ao tempo, que seu organismo se encarregará de dissipar pequenos transtornos que infalivelmente chamarão a atenção de alguma pessoa que não se furtará à observação: “Será que isto vai desaparecer?” Não deixe de nos transmitir qualquer tipo de preocupação. Daremos os esclarecimentos necessários para sua tranqüilidade.

Resultado final

Inicialmente, durante os primeiros quatro meses pós-cirúrgicos, a região apresenta-se um pouco edemaciada (inchada), mas com o passar do tempo, vai havendo uma acomodação gradativa de tecidos orgânicos. A partir do quarto mês acontece nova sessão fotográfica para comparação do pré e pós-operatório (antes e depois).

Share This :

No comments so far!

Leave a Comment

Your email address will not be published.
Sitio web optimizado por: SEO Valencia
Plugin Modo Mantenimiento patrocinado por: Plugin WordPress Maintenance